Marcopolo confirma, após reunião de diretoria, suspensão parcial das atividades em Planalto e Ana Rech nesta semana devido a incêndio

0
235
Empresa vai aproveitar semana com menos dias úteis para calcular prejuízos e reprogramar a produção

Por Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Na unidade atingida pelo incêndio são produzidos componentes para todos os modelos da empresa

Terminou na tarde desta segunda-feira, 4 de setembro de 2017, uma reunião com a diretoria da Marcopolo que decidiu que a produção será parcialmente suspensa nesta semana em razão do incêndio que atingiu na tarde deste domingo, 3 de setembro, a unidade de plásticos da empresa que fica no complexo de Ana Rech, em Caxias do Sul.

Em nota, a Marcopolo confirmou que a medida vai abranger as plantas de Ana Rech e Planalto, que também utiliza os materiais produzidos pela unidade afetada pelas chamas.

A empresa vai aproveitar a semana mais curta, por causa do feriado da Independência do Brasil, para avaliar os prejuízos e como vai retomar a produção normalmente.

A Marcopolo S.A. anuncia que as atividades de suas unidades Ana Rech e Planalto ficarão paralisadas parcialmente durante esta semana. A companhia utilizará a semana mais curta, de apenas três dias em razão do feriado da Pátria, para avaliar impactos, medidas a serem tomadas e programar produção. Segundo a direção da empresa, o mais importante foi não ter havido feridos na ocorrência.

Apesar de o ônibus ser composto predominantemente por estrutura em aço e chapas de aço e alumínio, os componentes plásticos são itens relevantes para o acabamento dos produtos e, por isso, a paralisação na sua fabricação pode afetar a produção e montagem do veículo como um todo.

Pelo fato de o incêndio ter ocorrido em uma unidade que fica separada da linha de produção de ônibus, nenhum veículo pronto ou em fabricação foi atingido, assim como também nenhum chassi que estava aguardando a programação para entrar em linha.

O incêndio começou por volta das 16 horas deste domingo e, por causa da presença de materiais inflamáveis, como plástico, fibras e papelão, as chamas logo se alastraram.

Ninguém ficou ferido.

Todas as equipes do Corpo de Bombeiros de Caxias do Sul, com apoio de unidades de cidades vizinhas, atuaram no combate ao incêndio.

A Polícia Civil já iniciou as investigações para descobrir as causas do incêndio.

Na nota emitida no final da tarde desta segunda-feira, a Marcopolo diz que na unidade atingida pelas chamas são produzidas partes essenciais para os modelos da encarroçadora

Construída em 2008, em área de 16 mil metros quadrados, que representa cerca de 15% da área total coberta de Ana Rech, a unidade de componentes plásticos da Marcopolo é a mais recente no complexo industrial e atende os requisitos e normas de segurança vigentes. Com cerca de 600 colaboradores, a operação é dedicada à produção de componentes de ônibus, internos e externos, como teto, revestimentos internos, e junto com o fornecimento de tradicionais parceiros externos localizados em Caxias do Sul, foi concebida para que a Marcopolo tornasse mais eficiente o desenvolvimento e o fornecimento de componentes plásticos utilizados nos ônibus.

A fabricante de carrocerias de ônibus também afirmou em comunicado enviado ao Diário do Transporte que tem investido em segurança, com foco inclusive na prevenção a incêndios e que aguarda conclusão da perícia.

A Marcopolo tem como foco fatores como segurança, qualidade e prevenção. Essas ações têm feito parte dos mais recentes programas da empresa como o projeto de revitalização do Sistema Marcopolo de Produção Solidária (SIMPS/SUMAM), instituído ao longo de 2016, com base nos princípios Lean e realização de Kaizens (melhoria contínua) com o envolvimento e treinamento de colaboradores. Os resultados foram ganhos de eficiência, segurança e qualidade, redução de custos, além de um melhor ambiente de trabalho e bem-estar de todos os colaboradores. Nas operações brasileiras, foram realizadas, somente no ano passado, mais de 60 semanas Kaizen que resultaram em quase 3,2 mil sugestões de melhoria, com mais de 2,8 mil implementadas.

Em junho passado, a Marcopolo comemorou os 50 anos da EICI – EQUIPE INTERNA DE COMBATE A INCÊNDIO. Referência na cidade de Caxias do Sul pela atuação no combate a incêndios, a equipe foi criada em 1967, naquela época, com 13 integrantes. Hoje, a companhia conta com 490 brigadistas, responsáveis pelo atendimento das unidades dos bairros Ana Rech e Planalto em Caxias do Sul.

Atualmente a EICI da Marcopolo conta com dois caminhões e EPIS especiais para combate a incêndios. Um dos veículos possui cabine dupla com capacidade de transporte de cinco brigadistas, tanque de 8.000 litros de água e 500 litros de LGE (Líquido Gerador de Espuma – agente extintor para produtos inflamáveis), bomba e canhão monitor eletrônico de 1.000 GPM (galões por minuto – aproximadamente 3.700 litros/minuto), torre de iluminação e escada. Conta ainda com equipamentos específicos para os brigadistas, como cilindros de ar respirável e vestimentas específicas para combate a incêndio.

Todo ano, os integrantes da equipe passam por seis treinamentos teóricos e práticos focados em Primeiros Socorros, Uso de Extintores e Uso de Mangueiras, além de simulados de emergências. Em 2016, esses treinamentos totalizaram 5.280 horas de capacitação.

Como uma das primeiras equipes treinadas, aparelhadas e organizadas para combater incêndios no Estado do Rio Grande do Sul, a EICI, ainda na década de 1970, passou a colaborar com a comunidade da região, por demanda do Corpo de Bombeiros. A EICI também serviu de modelo para outras companhias, que passaram a investir na criação de equipes de combate a incêndio como forma de prevenção e proteção de seu patrimônio e das pessoas.

Fonte: Diário do Transporte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here