Conheça a história do serviço de City Tour da Transflor (Via Sul) em 1991

2
662

Um passo para a modernidade, assim ficou desenhado na história da Transflor o serviço de CitY Tour.

Por Josenilson Rodrigues e Vladimir Monteiro

Saindo dos anos 80 para os anos 90, a empresa Transflor (Via Sul Transportes) investia fortemente em sua imagem. Sendo reconhecida por vários meios impressos de jornais locais da época, a Transflor construía uma imagem forte de excelência em suas operações e manutenção.



Em Outubro de 1991, a empresa deu um passo para a modernidade, enterrou de vez a sua imagem de algoz das páginas da imprensa local, para ganhar um espaço positivo nos jornais mais renomados do país.

O segredo foi colocar em pratica um projeto de prestação de serviço denominado de Passeio Cultura, idealizado por Marcos Pedroza do setor de relações públicas da empresa na época. Em entrevista à revista TECHNIBUS, ele disse que se sentina inconformado com o baixo conceito da empresa perante a comunidade, devido a uma campanha negativa orquestrada pela a concorrência o qual, o fez virar a mesa.

A solução surgiu em Buenos Aires, onde observou operadoras portenhas ofertando passeios gratuitos aos usuários. E para viabilizar o projeto em Natal, foi usado um ônibus Monobloco O-364 e o transformaram em jardineira, fazendo uso de piso em madeira mais elevado.

As divulgações dos passeios eram feitas em um Jornal da Comunidade e folhetos eram fixados na frota da empresa, bem como em pequenos comércios dos bairros onde a empresa operava. As organizações dos passeios na maioria das vezes eram feitas por estudantes de escolas públicas, clubes de mães e entidades dos bairros sediados pelas as regiões atendidas pelas as 13 linhas da empresa.

Para agregar maior qualidade nos passeios e tornar cada viagem mais agradável, a empresa Transflor aliou-se a concessionária da Coca-Cola local, que tinha um projeto de marketing chamado Consumidor do Futuro, direcionado aos jovens.

Nessa parceria, a Coca-Cola fornecia refrigerantes gratuitamente as pessoas. E a Transflor ficaria encarregada de arca com os custos de operação.

O roteiro do Passeio Cultura incluía uma visita à fábrica da Coca-Cola, ao complexo aeroportuário, à garagem da Transflor e por fim aos marcos históricos da cidade como: Forte dos Reis Magos, Barra do Pirangi e etc. Todas as viagens eram acompanhadas por um guia turístico.

As viagens eram realizadas três dias por mês (Terças, Quartas e Quintas) em Dois horários. O que se transportava uma média de 300 passageiros.

2 COMENTÁRIOS

  1. Mais que história em meu amigo. Que achado foi esse? Nossa cara, muito bom ler esse tipo de matéria. Trabalhei na empresa na época em que uma flor era usado como logomarca. Esse ônibus eram ruim, os ferros esquentavam com o sol e queimava o povo, porém foi um ato de pioneirismo no turismo da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here