ago 30, 8 meses atrás

Comil interrompe as atividades de todos os funcionários e pode deixar a produção de urbanos

Licença remunerada vai até quinta-feira. Sindicato e empresa negociam demissões

Por Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comil Svelto piso baixo, uma das versões do urbano da marca.

A encarroçadora de ônibus Comil interrompeu nesta segunda-feira, 29 de agosto de 2016, toda a produção da sede localizada em Erechim, no Rio Grande do Sul.

Os funcionários estão de licença remunerada até a quinta-feira desta semana.

No começo deste mês, a empresa já tinha paralisado o turno da noite e reduzido expediente do dia para meio período.

Até esta licença remunerada durar, a Comil negocia com Sindicato dos Metalúrgicos a demissão de parte dos trabalhadores.

Em nota, a Comil atribui a medida à crise econômica que também afeta as vendas e produção de veículos comerciais pesados, como o ônibus e caminhões.

A Comil “inicia um processo de reestruturação da empresa e de seu quadro de pessoal, necessário para adequar-se à atual situação do mercado interno. Tal medida é resultado da grave crise que o Brasil está enfrentando, com grande impacto no mercado de ônibus”.

O Sindicato dos Metalúrgicos estima que a Comil tem hoje 1,8 mil trabalhadores.

A entidade lembra que a encarroçadora de ônibus firmou um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público do Trabalho pelo qual assumiu o compromisso de não realizar demissões em massa sem antes negociar com entidade sindical.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Erechim também afirma que um dos planos da Comil é momentaneamente deixar a produção de ônibus urbanos, tendo como foco apenas os de fretamento e rodoviários.

A empresa, entretanto, não confirma oficialmente esta informação do sindicato.

Em 28 de janeiro deste ano, a Comil fechou por tempo indeterminado a fábrica de ônibus urbanos na cidade de Lorena, no interior de São Paulo.

CALOTE DO GOVERNO FEDERAL CONTINUA:

Além da queda de vendas por causa da crise econômica, a Comil também amarga um calote de R$ 44 milhões por parte do Governo Federal.

Micro-ônibus do modelo Comil Piá foram vendidos para o “Programa Crack é Possível Vencer” muitos dos quais usados nas imediações estádios da Copa do Mundo.

O micro- ônibus possuem tecnologia para recebimento de pessoas que dependem desse entorpecente, câmeras e até materiais médicos.

A dívida foi contraída na gestão Dilma Rousseff e o governo ainda não pagou.

Os R$ 44 milhões poderiam auxiliar a Comil inclusive a manter alguns funcionários.

Fonte: Blog Ponto de Ônibus

Share "Comil interrompe as atividades de todos os funcionários e pode deixar a produção de urbanos" via

Comentar

4 COMENTÁRIO(S)

  1. 10/09/2016
    Mais que situação. Muito triste isso. Responder
  2. 10/09/2016
    E o país se afundando cada vez mais. Responder
  3. 10/09/2016
    Uma triste Notícia Responder
  4. 10/09/2016
    A situação está ficando cada vez mais difícil para todas as empresas de carrocerias de ônibus. Responder

Leave a reply

Mais na Categoria Notícias
22:47, 18 horas atrás

Dia 1° de Maio tem Tarifa Social

Por Josenilson Rodrigues – Busão de Natal No feriado do Dia do Trabalhador comemorado na próxima Segunda Feira (01/05/2017), o sistema de transportes de passageiros por ônibus e opcional contará com o benefício da tarifa social, onde no dia em …

21:30, 19 horas atrás

Sábado (29/04) frota de ônibus circulam dentro da normalidade

Por Josenilson Rodrigues – Busão de Natal Depois de um dia bastante conturbado e caótico, frota de ônibus e outros serviços voltarão ao normal a partir das primeiras horas deste Sábado, 29 de Abril de 2017. Com a graça de Deus, voltaremos a ter o nos…

11:36, 1 dia atrás

Frota da Guanabara e Oceano começa a ser liberado após desbloqueio de BR

Por Josenilson Rodrigues – Busão de Natal A frota de ônibus das empresas Transportes Guanabara e Expresso Oceano que deveriam ter saído às 05h só foram liberados após às 09h30min. Isso porque, o movimento dos sem terra bloquearam a BR-406 e a BR-101 …